segunda-feira, 16 de abril de 2018

CURIOSIDADE MUSICAL 4# - VINTAGE



Nem todo instrumento com mais de 20 anos é necessariamente colecionável, ou tem um bom som , ou vale muito.Existe ainda por cima , uma série de fatores e termos que podem confundi-lo na hora de identificar uma guitarra , como por exemplo "raro", "colecionável", "fora de linha", "Edição limitada", "Re-edição" , sem falar em cópias e modelos falsificados.
Muitas vezes só um colecionador experiente pode distinguir entre um modelo original e uma cópia bem feita. Vamos ver :
RARO: Uma guitarra pode ser rara porque foram feitas muito poucas, ou até só uma, mas isso não quer dizer que seja vintage ou tenha valor.
FORA DE LINHA: São as guitarras chamadas em inglês de "discontinued", ou seja, que não se fabricam mais. Isso também não quer dizer que sejam guitarras de interesse ao mercado vintage , até porque pode ser que tenham sido tiradas de linha , justamente por que foi um fracasso de vendas na época ou foram substituídas por modelos mais atraentes e com mais apelos. Por outro lado, existem guitarras que saíram de linha , mas que hoje são um sucesso e muito valorizadas , e portanto este item deve ser analisado caso a caso.
EDIÇÃO LIMITADA: São guitarras que as fábricas resolvem fazer em quantidades limitadas e numeradas, ou seja, deve estar escrito no selo "numero_______ de ______ produzidas". Claro que, de novo, isso não quer dizer que essas guitarras devam ser consideradas mais valorizadas.
RE-EDIÇÃO: Aqui também vale a pena citar o nome em inglês, no caso "reissue", que é a pratica de algumas marcas de guitarras relançarem seus modelos mais famosos e valiosos, com as mesmas especificações com que eram produzidas antigamente. São cópias dos modelos vintage feitas normalmente com muito cuidado e com a intenção de atingir o público que não consegue obter um modelo original.
As guitarras mais valorizadas no mercado vintage são as que reúnem algumas dessas características.